Verão Obscuro (2015)

Dark Summer

Sinopse: Um jovem de 17 anos é colocado em prisão domiciliar enquanto sua mãe está longe em uma viagem de negócios. Um incidente trágico acontece envolvendo o jovem, deixando uma presença maligna na casa. 

Para melhor entender o grande problema de Verão Obscuro, se faz necessário uma breve análise bem generalista sobre como os filmes de terror funcionam atualmente. O cinema de terror atual tem duas vertentes principais, o cenário mainstream, composto pelos filmes de estúdio, ou seja, aqueles filmes com os dizeres “Dos mesmos produtores de Atividade Paranormal e Sobrenatural” nos posteres e o cenário independente, filmes de menor orçamento, que costumam ganhar destaque nos festivais e raramente tem um grande lançamento nos cinemas, como por exemplo ‘The Babadook‘ ou Starry Eyes, dois dos melhores filmes de terror de 2014. O cenário independente no entanto, acaba se dividindo também em outras duas vertentes: de um lado, filmes inovadores, com ideias fantásticas e originais, sejam de conteúdo ou de estilo, filmes que servem de referência e inspiração para o mainstream, como foi o caso do primeiro Atividade Paranormal; de outro lado, existem aqueles filmes que tentam repetir a formula de sucesso do mainstream mas não dispõem de recurso para tal, seja recurso monetário ou intelectual, resultando em filmes de baixo orçamento mas com um enredo cliché ou sem um pingo de originalidade. Como dito logo no início do parágrafo, esta análise é bem general e nem de longe cobre todas as variáveis do gênero, mas com base neste comentário, se torna mais simples localizar aonde Verão Obscuro se encaixa no cenário do horror. Continuar lendo

Anúncios

Suburban Gothic

Suburban Ghotic (2015)

Raymond é forçado à voltar para a casa dos pais após passar seis meses desempregado e o que já era um pesadelo fica ainda pior quando um espírito maligno começa a assombrar a casa. Cabe a Raymond recuperar os poderes paranormais que tinha quando criança para tentar salvar a própria família com a ajuda de sua amiga Becca.

suburban-gothic

Perante a falta de uma sinopse razoável e que fizesse algum sentido disponível na internet, fui forçado a criar minha própria “descrição” de Suburban Gothic. Mas esteja avisado, este é um daqueles filmes em que a expressão “fazer sentido” não vai… fazer muito sentido!

Em 2012, o diretor e roteirista estreante Richard Bates Jr. sacudiu o cenário independente de terror com o insano “Excision”. Filme bizarro, cheio de imagens fortes e desconexas criadas pela mente doentia da protagonista, uma adolescente com problemas em todos os aspectos de sua vida pessoal. Este primeiro filme de Bates não me agradou no entanto. Apesar de algumas sequências brilhantes, o todo se mostrou uma experiência bem cansativa e pouco envolvente. Suburban Gothic, filme que é um terrir, ou seja, um terror de comédia, representa um salto de qualidade na carreira do diretor, que se mostra ainda mais ousado e disposto a fazer seu trabalho o mais criativo e fantástico o possível. Continuar lendo